Exportações chinesas crescem em 2020.

A China foi a única grande economia mundial a registar um aumento do comércio externo no ano passado, alimentado pelas vendas de artigos relacionados com o combate à pandemia de Covid-19, incluindo máscaras e equipamentos de proteção individual.

As exportações têxteis da China, 29,2% em 2020, para 153,8 mil milhões de dólares (cerca de 128 mil milhões de euros), impulsionadas pela procura por máscaras e equipamentos de proteção individual provocada pela pandemia de Covid-19.

No total, as exportações da indústria têxtil e vestuário chinesa aumentaram 9,6% em termos anuais, para 291,22 mil milhões de dólares em 2020, de acordo com uma notícia da agência noticiosa chinesa Xinhua. Embora as exportações têxteis tenham subido, as exportações de vestuário caíram 6,4%, para 137,4 mil milhões de dólares, segundo o Ministério da Indústria e Tecnologias de Informação.

Só em dezembro, as exportações têxteis chinesas cresceram 2,6% em termos anuais, para 12,29 mil milhões de dólares. Já as exportações de vestuário aumentaram 2,8% em termos anuais, para 13,91 mil milhões de dólares.

Recorde no comércio externo

De acordo com a administração das alfândegas da China, no geral, as exportações subiram 4%, para 17,9 biliões de yuans (2,31 biliões de euros) no período de 12 meses. O comércio externo recuperou rapidamente após ter sido afetado no início do ano passado pelo surto de Covid no país. Desde junho de 2020, a China registou um crescimento positivo no comércio externo por sete meses consecutivos e atingiu um valor recorde no volume total de comércio externo, exportações e quota de mercado internacional, tornando-se a única grande economia com crescimento positivo no comércio de bens em 2020.

Também aumentou o comércio com os seus cinco principais mercados, nomeadamente a ASEAN, a União Europeia, os EUA, o Japão e a Coreia do Sul.

[©Xinhua/Chen Qibao]

«A China tem preservado o seu papel como o maior fornecedor mundial de materiais antiepidemia ao manter a cooperação internacional contra a pandemia de Covid-19 e feito esforços para fornecer e exportar materiais antiepidémicos para mais de 200 países e regiões. De março a dezembro de 2020, as alfândegas chinesas libertaram grandes fornecimentos de materiais antiepidemia no valor de 438,5 mil milhões de yuans, mostrando o empenho da China, enquanto grande país responsável na luta contra o Covid-19 em todo o mundo», destacam as autoridades alfandegárias chinesas, citadas pelo just-style.com.

«O crescimento no comércio deveu-se à prevenção e controlo da epidemia na China. Quando a indústria mundial parou, a indústria chinesa destacou-se, o que permitiu que as encomendas mundiais regressassem à China após o terceiro trimestre e possibilitou que o comércio externo da China ainda conseguisse atingir bons resultados no ano passado», aponta Hu Qimu, investigador sénior no Instituto de Economia Digital da China ao Global Times.

No futuro, a China espera uma maior incerteza em relação à pandemia e à paisagem mundial, o que traz «incertezas e instabilidades» ao crescimento do comércio externo, mas ainda assim, Li Kuiwen, porta-voz da administração das alfândegas chinesas, afirmou numa conferência de imprensa, que o país espera um crescimento positivo no comércio externo em 2021.

TAG #CHINA #COMÉRCIO INTERNACIONAL #MERCADOSTÊXTIL #VESTUÁRIO

Fonte: www.portugaltextil.com/exportacoes-chinesas-crescem-em-2020/

Compartilhe esse post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email
Com muito ❤ por go7.site
⚙️